Artista: Valderlan Macedo

Letra da Música Matuto de Imbornal de Valderlan Macedo

< Valderlan Macedo

Nem que eu morra de fome
Não deixo o Nordeste
Pois sou "caba da peste"
Bebo leite no curral

Sou matuto de "imbornal", sou matuto de "imbornal"
Sou matuto de "imbornal", sou matuto de "imbornal"

Mesmo com toda necessidade
Não me arribo pra cidade
Não abandono o Sertão
Pra não cheirar fumaça de carro
Ir pro trabalho arrochado
No metrô, na lotação
Não quero correr perigo no morro
Homens pedindo socorro
Mulheres passando mal
Nem viver com medo da polícia
É bandido, é milícia
Etc coisa e tal

Sou matuto de "imbornal", sou matuto de "imbornal"
Sou matuto de "imbornal", sou matuto de "imbornal"

Quero o sossego do meu campo
Espantar os males com canto
Plantar mamona, feijão
Aimpim, mandioca macaxeira
Lá na beira da fogueira
Na noite de São João
Eu quero é poder beber na fonte
Sol nascendo no horizonte
Cantos vindos do pombal
Aqui a natureza é que manda
Sinto a brisa na varanda
Numa rede de sisal

Sou matuto de "imbornal", sou matuto de "imbornal"
Sou matuto de "imbornal", sou matuto de "imbornal"

Ficha Técnica da Música Matuto de Imbornal

Na tabela abaixo você vai encontrar dados técnicos sobre a letra da música Matuto de Imbornal de Valderlan Macedo.

Número de Palavras 144
Número de Letras 1207
Intérprete Valderlan Macedo

Análises de Significado da Letra da Música Matuto de Imbornal

Nenhuma análise de significado de letra publicada para esta música.

Amazon Music Unlimited