Artista: Heróis de Aluguel

Letra da Música Arte Barata de Heróis de Aluguel

< Heróis de Aluguel

Minha santa ingenuidade, já não posso mais ver
O que me impede de ver
Além, como amarrar os nós, ou acender um cigarro
Perto de um gás
O oxigênio que alimenta um paciente
Antes de morrer
E eu só, esperando um habeas corpus para me livrar de você

Vou alterando a freqüência, do coração e mudando
A estação
Do que a libido me aponta, um bom jantar e um vinho
Não faz mal
Pra encantar um alguém, abro cabeças e vejo arte barata
Quem vive assim como eu é um esperante da morte e do futuro

Sempre prezando o meu apreço, pondo os pingos nos i's
E arrumando a bagunça
Sem prosa e sem refrão, sem cerimônia eu encosto
Gosto de você
Sorrindo assim, diversão, os olhos claros me tiram
Do escuro
E eu só, esperando que me chova um pouquinho de ti em mim

Não ouço nada lendo o jornal, a tevê me rouba
A cabeça
As idéias e planos, água baixo, vendo, sempre compro
Arte barata
E o menino indaga novamente, todo mundo morre
Se Deus morrer?
Você que vive sem um eu, matando-me sem ter você
Você que vive sem um eu, matando-me sem ter você
Você que vive sem um eu, matando-me sem ter você

Ficha Técnica da Música Arte Barata

Na tabela abaixo você vai encontrar dados técnicos sobre a letra da música Arte Barata de Heróis de Aluguel.

Número de Palavras 181
Número de Letras 1177
Intérprete Heróis de Aluguel

Análises de Significado da Letra da Música Arte Barata

Nenhuma análise de significado de letra publicada para esta música.